Hipoglicemia na corrida

23-10-2020

É cada vez mais comum escutar histórias de pessoas que estão reduzindo a ingestão de hidratos de carbono para perder peso. Esta técnica, contudo, pode trazer um grande problema: a hipoglicemia.

"É a queda dos níveis de glicose (tipo de açúcar presente nos hidratos de carbono) no sangue abaixo de 70 mg/dl (o ideal é entre 70 e 100 mg/dl", explica Dimas Democh Júnior, médico do desporto do Instituto de Prevenção Personalizada.

Esta é a principal fonte de energia do corpo, que acaba se adaptando para utilizar gordura e massa magra com o intuito de manter o equilíbrio dos níveis de glicose (açúcar) no sangue. Por isso, tanta gente que quer emagrecer opta por esse tipo de dieta.

De acordo com o especialista, a confirmação da hipoglicemia é feita pelo preenchimento dos critérios da chamada Tríade de Whipple: glicemia plasmática abaixo de 70 mg/dl (a medição é feita por meio do glicosímetro); sintomas como tremores, sudorese, palpitação, palidez, confusão mental, entre outros; e a melhora do quadro após a ingestão de hidratos de carbono.

O problema se torna mais comum com quem está aliando esta dieta pobre em hidratos de carbono à prática de exercícios físicos. Se algum dos sinais acima forem sentidos durante um treino, interrompa-o imediatamente e coma algum alimento fonte de hidratos de carbono.

"Dê preferência aos líquidos (isotônicos ou água de coco) ou géis e hidrate-se bem. Além disso, procure um médico para uma melhor avaliação."

Outra atitude que pode causar a hipoglicemia, segundo Democh, é a actividade física praticada em jejum prolongado. Pessoas com diabetes e que precisam utilizar insulina ou tomar medicamentemos para aumentar a produção deste hormónio também estão mais propensos a sofrerem com o problema.

Se você estiver sentindo os sintomas da hipoglicemia com frequência, procure um médico para fazer uma avaliação completa. Será a garantia de que sua saúde não será afetada por conta da dieta e/ou da sua actividade física.

Fonte: www.suacorrida.com.br